Total de visualizações de página

domingo, 15 de agosto de 2010

Um passeio, um artista e sua obra

Olá, pessoal!
Estive ausente por um tempo porque entrei em recesso escolar na primeira metade do mês de julho. Aproveitei esse período para descansar, rever a família e viajar. Quando voltei, fui convidado a ministrar um curso numa universidade do interior de Pernambuco e fiz uma seleção para tutor de ensino a distância da Universidade Aberta do Brasil. Além disso, o projeto de doutorado que procuro esboçar e os temas a serem estudados para a seleção doutoral que acontece no fim do ano têm tomado um tempo enorme. Não deixei o espaço abandonado e, sempre que possível, tenho vasculhado e visitado os blogs que leio assiduamente e explorado outros que sigo, mas não garimpei.
Sobre a viagem a São Paulo, feita durante o recesso escolar, tenho muito a dizer. Não foram poucas as impressões que a cidade deixou e as fotos e lembranças trazidas de muitos lugares provam isso. Passear por São Paulo é caminhar por entre um universo envolto em arte, artistas consagrados e do cotidiano e cultura de modo geral. Fiquei impressionado - e registrei isso em fotos que guardo com disfarçado ciúme - diante da profusão de objetos artísticos que se distribuem pelas estações, ruas e edifícios.
Recordo, incontáveis vezes, lugares que imprimiram-se à memória de maneira indelével. Vale citar: Pinacoteca do Estado de São Paulo, Estação da Luz, Museu da Língua Portuguesa, Museu do Ipiranga, Museu de Arte Sacra etc. Esses são verdadeiros nichos onde a arte se concentra. Mas temas sobre cinema, música, teatro, pintura, literatura, entre outros, são conteúdos de conversas de botequim.
Durante o passeio pela Pinacoteca, fiquei envolvido num misto de deslumbramento e dor diante de uma das obras do artista plástico José Ferraz de Almeida Júnior e, mesmo após o passeio, fui visitado pela lembrança daquela obra. Almeida Júnior nasceu em Itu, interior de São Paulo, e seus trabalhos mais importantes datam da segunda metado do século XIX. Caso queira saber um pouco mais sobre a vida do pintor, visite: http://pt.wikipedia.org/wiki

/Almeida_J%C3%BAnior
A obra de Almeida Júnior que me chamou particular atenção foi Saudade de 1899. Fiquei impressionado ao olhar o estado desta mulher, encostada à janela, solitária, rosto crispado de tristeza e imersa na leitura de uma carta que a castiga. É quase uma fotografia. Esse efeito é dado pelo tom realista da obra.

Almeida Júnior morreu aos 49 anos. Segundo seus biógrafos, foi assassinado por seu primo.
Desde essa visita, tenho procurado conhecer a obra de Almeida Júnior e saber mais sobre sua vida. Ainda olho para a mulher recostada à janela e novas leituras se revelam. Aos queridos leitores, um pouco mais do artista:



4 comentários:

Marcio Nicolau disse...

Pra começar (como diria a Marina), obrigado pela visita ao InterTextual. O CD ao qual você se referiu é excelente, uma leitura reveladora (simples e ao mesmo tempo sofisticada) de canções novas e antigas desta que é a minha cantora favorita. Que bom que gostou do poema e espero que volte mais vezes.

Depois, parabéns pelo texto e obrigado por partilhar as impressões a respeito das obras. São Paulo é um lugar que eu gostaria de conhecer e eu certamente irei.

Um abraço,
do novo amigo
Marcio Nicolau

Carlinha disse...

Gostei muito de ficar a saber mais sobre esta obra. Não conheço o CD a que te referis-te com muita pena minha, gostava de saber se já paira cá por Portugal?

Uma beijoca
Boas leituras;)

Marcio Nicolau disse...

Respondendo tua pergunta: não vejo objeção ao turismo no Rio em janeiro, apesar das chuvas. De dezembro a março, ocorrem normalmente transtornos relacionados as enchentes, mas, não isso impede (pelo menos em princípio) que se possa aproveitar o sol, que tb costuma vir com tudo. Filtro solar eu recomendo.
:)

Um abraço e boa terça pra vc tb.

Universo Paralelo em Versos disse...

Bom tudo que esta no post tem tudo de mim.... lembrei de que fui o primeiro a ter o LP dark side of the moom em Santa catarina....na época tão esperado e deu no que deu.... 25 anos não saiu das listas do álbum mais vendido... entre o post outros e outro detalhes.....que me fizeram seguir o teu blog... abraços...!